+ Destaques
+ Publicações

quinta-feira, 26 de março de 2015

26.3.15

Como classificar sua própria voz?

Postado por Sávio Alves
Como classificar sua própria voz?


Muitos de vocês usufruem de nosso grupo no facebook ou até mesmo de nossa página para descobrirem qual a classificação vocal vocês ostentam, mas nem sempre é possível responder a todos os pedidos de análise, então criamos este tópico para dar um norte a vocês.



Primeiras considerações a serem feitas, você precisa entender que, meninos e homens cantam como meninos e homens, mulheres e meninas cantam como mulheres e meninas! Se você é um Barítono Dramático você não deve/pode/consegue cantar como a Ingeborg Hallstein (Soprano Lírico Coloratura), por isto já firmamos os pés ao chão logo aqui. Outro tópico a ser extirpado logo de cara é o seu alcance totalizado de 5 oitavas gritadas e arrotadas... Amigos, vamos na fé 'cantar  bonito', fazer valer com 1 Oitava e Meia cheia ou duas, conectadas, ressonantes, salubres e bem posicionadas dentro de nossas capacidades vocais para definir qual é nosso verdadeiro lugar entre os mil e um tipos vocais existentes, não adianta gritar a mão direita inteira do piano e arrotar a esquerda toda se não controlas nem a extensão comum de um cantor de MPB.

Cantores Pop não podem ser classificados com precisão absoluta, pois o fach é um sistema de classificação vocal desenvolvido para ajudar intérpretes eruditos a cantarem óperas e peças compostas por compositores que exigiam absolutamente tudo que um intérprete tinha para oferecer, vocalmente falando e cenicamente falando, demonstrando apenas o melhor de suas capacidades artísticas, já na música Pop em geral isso não acontece, lá canta quem quer, do jeito que quer, no tom que quer, com quantas oitavas quiser e com a estética que quiser sem necessariamente precisar receber um treinamento musical requintado de 10 anos na Europa, por isso paciência, só de saber que você é um possível Tenor já está bom de mais (Acredite em mim). E não se esqueça, se você tem seus 15 anos de idade provavelmente não pode ser classificado por ser muito jovem, por isso vá com calma e conserve seu instrumento jovem e vibrante. 


Timbre 


A primeira coisa a se levar em conta é a cor da voz, Timbre. Sua voz é escura, potente e pesada
? Leve, ágil e quente? Estes são alguns pontos cruciais para descobrir sua classificação vocal, valendo ressaltar também que é importante saber se você está ou não produzindo o verdadeiro som de sua voz, que por conta de tensão na base da língua, patologias diversas ou agentes externos pode não estar sendo emitida em seu mais puro e esplendoroso som. Certo de que estas produzindo um som salubre, bem projetado, sem tensão alguma em seu instrumento, dentro de seu alcance controlado, aí podes facilmente descobrir se tens uma voz mais leve, ágil e quente ou escura, cálida e potente... Se à dúvida persistir nosso grupo do Facebook ou um professor competente poderá facilmente te auxiliar neste quesito. Para facilitar a vida de vocês aqui vai exemplos de cantores pop e eruditos com vozes graves, médias e escuras para esbouço.

Eruditos de Voz Extremamente Clara, Ágil e Leve:


Segue a lista de exemplo de vozes leves de cantores eruditos, levando em conta é claro a subclassificação de cada tipo (Um Baixo logicamente não tem uma voz leve, mas um Baixo Cantante dispõem de uma voz mais leve que a de um Dramático).

Soprano: Natalie Dessay
Mezzo-Soprano: Joyce DiDonato 
Contralto: Hilary Summers
Contratenor (Sopranista): Radu Marian
Tenor: Javier Camarena
Barítono: 
Jacques Jansen 

Eruditos de Voz Lírica, Moderadamente Potente e Quente
:


Estas são as mais comuns e as mais apreciadas atualmente, dispõe do melhor dos dois mundos.

Soprano: Renée Fleming
Mezzo-Soprano: Frederica Von Strade
Contralto: Nathalie Strutzmann
Contratenor: Andreas Scholl
Tenor: Luciano Pavarotti
Barítono: Dietrich Fischer-Dieskau
Baixo: Ezio Pinza

Eruditos de Voz Extremamente Escura, Potente e Cálida
:


Estas são bem raras, provavelmente poucos de vocês dispõe de vozes tão cavernosas e naturalmente potentes... Vale alertar que se você tem seus 19, 20 anos de idade e acha que está nesta categoria é melhor procurar um bom professor pois é bem provável que esteja redondamente enganado e destruindo o próprio instrumento.


Soprano: Birgit Nilson
Mezzo-Soprano: Christina Carr
Contralto: Ewa Podles
Contratenor: David Hansen
Tenor: Lauritz Melchior
Barítono: Bryn Terfel
Baixo: Boris Shtokolov

Populares de Voz Extremamente Clara, Ágil e Leve:

Soprano: FKA Twigs
Mezzo-Soprano: Amy Lee
Contralto: Lalah Hathaway
Contratenor (Sopranista): Chris Colfer
Tenor: Kim Jaejoong
Barítono: Xiah JunSuBaixo: Tim Maia (Fim da vida).

Populares de Voz "Lírica", Moderadamente Potente e Quente:


Soprano: Mariah Carey
Mezzo-Soprano: Lady Gaga
Contralto: Cher
Mezzo-Sopranista: Alex Newell
Tenor: Leonardo Gonçalves 
Barítono: Diogo Nogueira 
Baixo: Avi Kaplan

Populares  de Voz Extremamente Escura, Potente e Cálida:

Soprano: Mónica Naranjo
Mezzo-Soprano: Anita Baker
Contralto: Galina Baranova
Contratenor: Lívia Mendonça 
Tenor: Robbie Williams
Barítono: Barry White
Baixo: Tim Storms


Alcance 


Tenores e Sopranos destreinados dispõe de brilho nas mesmas notas, porém em oitavas diferentes (Sopranos uma acima), aproximadamente entre um C3/C4 e um G4/G5 ou F4/F5 em vozes mais pesadas. Muitos intérpretes dispõe de 3 Oitavas ressonantes e plenas (Whistle, fry, notas graves cheias de ar e falsetes definitivamente não te ajudam em nada para definir seu tipo vocal), mas sua região de brilho geralmente é bem marcadinha e de duas oitavas. Maria Callas é um perfeito exemplo de intérprete com mais de 2 Oitavas e Meia de extensão controlada totalmente conectadas, plenas e ressonantes, podendo encher um teatro com sua voz de peito e cabeça sem problema, já Mariah Carey é um perfeito exemplo de intérprete com uma extensão totalizada gigantesca - 5 oitavas - mas que não necessariamente dispõe de um alcance pleno ressonante, conectado como o da anteriormente citada, por isso, por mais que esta atinja notas de Barítonos e ultrapasse o alcance de um Soprano Coloratura em uma oitava, não deixa de ser um Soprano de voz intermediária. Normalmente intérpretes bem treinados usam duas oitavas com total conforto e salubridade, no caso dos Sopranos e Tenores experientes um C agudo é adicionado a já citada tessitura usual, o que não quer dizer que estes não consigam cantar mais graves ou agudas de forma primorosa. 


Mezzo-Sopranos e Barítonos diferem um pouco em notas, já que os rapazes deste naipe estão em meio a tipos mais diversos. Os Mezzos geralmente começam a ganhar corpo e poder em sua emissão próximo a um A3 ou B3 em vozes em amadurecimento e se estendem até um E5 ou F5 com conforto e beleza, podendo atingir o G ou B agudos de forma razoável voltando a região média grave para evitar fadiga vocal, já Barítonos pouco treinados geralmente cantam de F2 até por volta de um D4 sem grande problema. As vozes intermediárias são as mais comuns em meio à adultos, o que não significa que são os mais famosos no mercado fonográfico atual.

As vozes graves, Contralto e Baixo, são raríssimas... Contraltos legítimos são raros ao extremo e a chance de uma mulher dispor deste tipo vocal é praticamente nula, uma peculiaridade da natureza que muitas vezes se da em mulheres já muito maduras de países frios, tendo à Rússia como grande berço das notas baixas masculinas e femininas. Por serem muito particulares a tessitura destes varia bastante, mas geralmente um Baixo canta bem de um D2 até por volta de um B3, podendo ir bem mais grave em pura voz de peito ou até mesmo utilizando o registro basal de forma cheia e controlada (Uma habilidade geralmente conquistada somente por este naipe). Já os Contraltos são famosos por disporem de grande alcance vocal controlado, entrando com facilidade na região dos Mezzo-Sopranos e Tenores sem grandes problemas quando competentes, sua tessitura usual é algo próximo de um D3 até um E5. O Contralto dispõe de timbre andrógeno e um papel cênico mais maduro, por isso uma menina de 20 e poucos anos dificilmente realmente é um.


Repertório

Para os cantores Pop tudo é cantável, tons podem ser abaixados e alterados sem problemas e tudo é possível, mas para os cantores eruditos, fora de recitais e apresentações mais livres, o buraco é mais em baixo. Para os Contratenores a solução de repertório é torcer para ressurgir alguma ópera do Barroco estourando em seu local de atuação, mas estes geralmente se tornam famosos como recitalistas... Aos transexuais, este um post exclusivo para vocês neste link, e os outros tipos vocais basta seguir o que a partitura manda e escolher um bom papel de acordo com seu fach... Caso se interessem posso fazer um post só para repertório.


Mídias de Ajuda

Caso ainda tenha dúvidas de como descobrir seu tipo vocal, aqui segue nossos contatos, que mesmo com a equipe limitada tentamos ajudar sempre que possível! Para nos encontrar no no grupo do Facebook clique aqui, para nossa página aqui. 

segunda-feira, 23 de março de 2015

23.3.15

Análise Vocal - Whitney Houston

Postado por Sávio Alves
Análise Vocal - Whitney Houston


Artista /Banda: Whitney Houston.
Classificação Vocal: Soprano - Mezzo-Soprano.
Possível Classificação Vocal (pelo Sistema Fach): Soprano Spinto - Mezzo-Soprano Dramático. 
Alcance Vocal: A2 – A6 (Lá Dois - Lá Seis).
Oitavas: 4 Oitavas.

Voz Plena: A2 – C#6 (Lá Dois – Dó Sustenido Seis).

Oitavas: 3 Oitavas, 2 Notas e 1 Semitom.

Alcance Controlado: Eb3 – C#6 (Mí Bemol três – Dó Sustenido Seis).

Oitavas: 2 Oitavas e 6 Notas.

Alcance Ao Vivo: C3 - C#6 (Dó três – Dó Sustenido Seis).
Oitavas: 3 Oitavas e 1 Semitom.


Tessitura Vocal (Especulada): G#3 – G5 (Sol Sustenido Três - Sol Cinco).

Oitavas: 1 Oitava, 7 notas e 1 Semitom.

Gêneros Musicais: Gospel, R&B, Dance Pop.  



Caso seja sua primeira vez no Vocal Pop, com certeza encontrará termos desconhecidos, por isso visite nosso Glossário clicando aqui.




Whitney Houston é uma das vocalistas mais admiradas e aclamadas de todos os tempos da música Pop em geral. Com seu timbre raro de Soprano, esta interprete iniciou sua carreira na casa dos 20 anos de idade e já nesta época ostentava à marca registrada de sua carreira de sucesso: Um timbre de grande amplitude, com riqueza impar no registro médio, qualidade escura em toda sua extensão, com grande potência em seu registro superior - que podia ser moldado a sua vontade para se aventurar em uma sonoridade grandiosamente dramática e cálida ou quente e lírica - e uma homogeneidade extremamente surpreendente para uma interprete de música Pop. 






Como puderam notar nesta apresentação de 1985, o timbre de Whitney sempre foi escuro, mesmo nos tempos de jovem mulher, porém era evidente que a tessitura e cor do mesmo não faziam referência à voz de um verdadeiro Mezzo-Soprano. Dois anos mais tarde, ainda com a salubridade vocal em dia, Whitney ganha mais estamina em seu registro superior, maturidade em seu timbre, facilidade com efeitos costumeiros da música black - Growl por exemplo - e conserva sua voz de Soprano, sem empurrar o som das notas agudas com dificuldade aparente ou fazendo uso de emissão com laringe alta. Ouça novamente a mesma canção (How Will I Know) sendo executada anos mais tarde com competência impar:





Já em 1991 inicia-se o apogeu do que se tem em mente a respeito da voz de Whitney Houston. Uma era em que seu timbre atingiu o ápice de poder de emissão, com a coloração extremamente forte, emotiva, forte e escura. Neste tempo seu vibrato tornou-se ainda mais veloz - sem perde a constância - e incrementou ainda mais dramaticidade a seu canto, que agora  está maduro, porém sem desgaste aparente por conta de abusos ou vícios em drogas.



Até aqui o timbre de Whitney dispunha de características próximas da se um Soprano 2. Levando em conta o sistema de classificações vocais erudito - o Fach - pode-se dizer que o mais próximo que esta interprete se aproximou em seu apogeu foi de um Soprano Spinto. Um perfeito exemplo de legítimo Soprano Spinto é à prima de Whitney, Leontyne Price, a mais famosa Soprano afro americana de todos os tempos.



Em 1994, em meio a um momento descontraído com o Tenor Lírico Luciano Pavarotti e Elton John, Whitney demonstrou de forma cheia e imposta sua voz de cabeça. Não se pode exigir de uma cantora Pop o desempenho vocal 'sobre humano' de uma interprete de bel canto, mas Whitney, dentro de suas capacidades vocais, mesmo já fora de seu apogeu vocal, saiu-se extremamente bem demonstrando uma consistência primorosa em um pequeno trecho de "La Donna e Mobile" da ópera Rigolleto de Verdi.



Aqui inicia o declínio vocal de Whitney, que por conta de vício em substâncias ilícitas e conturbada vida emocional via sua voz esvair cada dia mais em um curto período de tempo para uma interprete tão virtuosa. Em 1995 sua voz já apresentava certa tensão no registro agudo, com uma emissão com esporádicas quebras vocais no topo do registro de peito e no passagio para o registro superior. Seu pescoço já apresentava certa tensão ao cantar e este pravo só foi agravado com o tempo já que os legatos se tornaram deverás mais desgastantes por conta da perda de estamina (Atenção nos tempos: 0:39 e 0:48).



Em 2000 Whitney surgiu com um registro superior de difícil acesso e com um timbre mais escuro com sopre peso perceptível. Os legatos já não mais existiam com estamina e poder e as partes agudas de suas canções eram evitadas a todo custo, sua voz estava deteriorada e sua classificação estava, por conta de abusos e não da ação natural do tempo, se deslocando aos poucos para uma região mais grave.



Em 2005 Whitney estava tão debilitada que até mesmo sua voz falada estava em pedaços. Um timbre nasal, fraco, com escape de ar evidente e uma rouquidão praticamente presbifônica tomou conta da voz de Whitney, que neste estágio já não mais poderia ser salva pelas mais requintadas técnicas de reabilitação vocal conhecidas pelo homem.



Em 2009 Whitney reapareceu com uma performance grandiosa, porém com um timbre pouco ressonante, rico e metálico, com um tom gasguito e bem mais grave. Aqui já não conseguia mais cantar próximo da região do Soprano, sua voz estava sendo entoada na tessitura de um Mezzo-Soprano com muito custo, produzindo um som ríspido e seco. 



Pontos Negativos

Com exceção dos claros abusos com respeito há substância ilícitas, Whitney Houston nunca foi do tipo que deixava de lado o cuidado com a própria voz. O único resquício de técnica insalubre é a da emissão - em momento isolados - das notas agudas sem recorrer a voz de cabeça, que por alguns momentos soavam pouco mixadas, 'abusando' de um som mais focado nos 'ressonadores inferiores', perdendo a oportunidade de produzir um som mais salubre.

Resolução dos Pontos Negativos

Não gosto de classificar o citado ponto negativo como algo que era realmente recorrente enquanto Whistney era saudável, afinal estamos falando de uma das maiores vozes da música Pop, mas para o bem geral descreverei como sanar este tipo de emissão com sobrepeso. As pregas vocais são dois músculos paralelos ao solo que se movimentam com extrema velocidade e delicadeza na emissão de um interprete com saúde vocal em dia... Compreender como executar frases melódicas utilizando o mínimo o possível de sobrepeso nestes músculos tão delicados é imprescindível para interpretes que presam por longevidade vocal. Importante também compreenderem como posicionar bem o som com boa postura do pescoço e ombros, com a língua levemente arqueada possibilitando a coluna de ar produzir um som ressonante e poderoso. Perfeito exemplo de interprete que atingiu longevidade compreendendo os citados aspectos é Patti LaBelle, Soprano 2 que está na casa dos 70 anos cantando perfeitamente bem, com uma voz conservada a ponto de poder bater de frente com mulheres naturalmente talentosas de 30 anos de idade ou menos.





Vocal Range





segunda-feira, 16 de março de 2015

16.3.15

Melhores Professores de canto online!

Postado por Sávio Alves
Melhores Professores de canto online!



O Vocal Pop surgiu na internet e aos poucos evoluímos em nossa jornada de mais de 2 anos graças a diversos profissionais da área, e não só os presenciais, mas também os online, por isso estamos fazendo esta postagem para indicar outros horizontes para nossos leitores, que merecem o melhor que à internet tem a oferecer. Neste artigo listarei professores de técnica vocal erudita (Escola sueca, italiana etc...) e de música Pop, por isso espero abranger um grande público com essa série de posts... Sei que muitos de vocês realmente não tem condições de pagar um tutor de canto desde criança como tive, mas sei que existe uma galera muito bacana por aí que quer abraçar vocês, então vamos aos nomes...



Natália Aurea


Para alunos iniciantes que realmente querem aprender mais profundamente sobre ressonadores, outras estéticas de canto e a dominarem bem o registro superior, principalmente Tenores e Sopranos, Natália Aurea é o que há... O Soprano mais famoso do Brasil atua há anos no coro lírico da OSESP (Um dos maiores do país) e dispõe de sólida formação musical (Já inclusive já foi entrevistada pelo nosso pessoal um tempinho atrás). Para você que quer uma aula de canto erudito complementar a do seu tutor de canto vale à pena aplicar um pouquinho do que a Natália tem a oferecer.


Marcio Markkx

Para você que está interessado em uma estética mais Pop, Marcio Markkx é uma ótima escolha de professor para complementar suas aulas com seu professor de canto. Há anos no Youtube, postando seus vídeos e métodos de canto gratuitos e premium, Marcio vem beneficiando diversas pessoas com seu empenho. Assim como Natália, Marcio também está com um plano de aulas novo que também já está a todo vapor (Basta clicar aqui para conferir).



Maestro David Jones

Este já é um professor de nível avançado e não recomendo para alunos em si e sim para professores de música experientes que querem aprimorar seus ensinamentos. Trata-se do mais famoso aluno de Alan Lindquest, o Maestro David Jones, um incrível professor de canto erudito que realmente entende tudo de canto, principalmente quando o assunto é Tenor de voz pesada! Seu trabalho está disponível por 54 dólares na internet (Aproximadamente 160 reais na atual cotação do dolar de 3,24) e super vale o investimento (Se você for fluente em inglês e já tiver experiência, clique aqui). 

Hoje escolhi estes profissionais porque estão em atividade com planos de aula novos, conheço seus respectivos trabalhos há mais de dois anos e já conversei com os mesmos, que reconhecem o trabalho do Vocal Pop, por isso se você for um professor de canto ou conhece algum bacana, envie uma mensagem para a gente, nossa equipe ficará feliz em ajudar ou te divulgar.

quinta-feira, 12 de março de 2015

12.3.15

Tudo Sobre - Tenores Dramáticos

Postado por Sávio Alves
Tudo Sobre - Tenores Dramáticos


Os Tenores Dramáticos são os mais respeitados e, na maioria das vezes, experientes Tenores. Estes, que conciliam uma aparência madura e imponente com uma voz de grande dimensão e poder, são muito bem aproveitados em tempo hodierno, principalmente em grandes teatros de música erudita, que exigem vozes com grande potência, estamina e consistência para suportar cantar acima de uma grande orquestra (Sobretudo Romântica) sem sofrer desgastes significativos em pesados repertórios que podem ser entoados por até 3 horas de duração ou mais. Seu timbre é descrito como escuro, metálico, ressonante, consistente, de grande afinidade com dinâmicas acima do F e de natural volume.




A passagem deste tipo de Tenor se da por volta de um F ou G acima do centro C e um trabalho árduo de cobertura deve ser presado para que não haja, de forma alguma, grande diferenciação de coloração entre o registro inferior e o superior (Cabeça). O chiaroscuro é de extrema importância para este tipo de Tenor específico, pois é uma marca registrada de uma voz desta magnitude, mas é incomum encontrar algum intérprete deste fach que não tenha experiência de canto ululante, já que cantores eruditos, em sua maioria, iniciam os estudos aos 7 anos de idade e passam por trocas de naipe e repertório com as experiências adquiridas durante sua formação. Pode-se dizer que praticamente não existem legítimos Tenor Dramáticos em idade jovial, já que grande experiência de atuação é requerida, assim como uma voz de coloração incomumente metálica, escura e potente. Um instrumento muito bem firmado não se dá em idade jovial na maioria dos intérpretes, principalmente em rapazes, que passam por mudanças bruscas na voz com a puberdade e ao decorrer da vida. 

Tenor e Sopranos de vozes de grande tamanho obtiveram formações divergentes por toda a Europa, por isso um Tenor grave treinado à escola francesa provavelmente não há de dispor de uma voz tão semelhante a do colega treinado a moda italiana e ou alemã, mesmo no mesmo período. O repertório é completamente diferente na história musical das 3 escolas, até mesmo o idioma próprio de cada país - que passa a ser extremamente valorizado no período romântico assim como a cultura de seus provincianos - muda bastante a forma de cantar e a técnica geral dos intérpretes, por isso Tenores e Sopranos Dramáticos devem se ater a estes detalhes nada sórdidos.

Importante não confundir o Tenor Dramático com o Heldetenor, já que são fachs diferentes, tendo este último uma voz mais rara, escura e difícil de trabalhar e ou classificar. Um bom exemplo de legítimo Tenor Dramático é Franco Corelli, famoso por seu seu belo timbre e presença de palco, sendo um dos mais inspiradores interpretes eruditos de todos os tempos:




Como podem ouvir, Corelli dispõe da citadas características deste artigo e é de fato um Tenor com características dramáticas em seu timbre. Como exemplo popular, James Brown foi o mais próximo que conseguimos aproximar de uma voz tão particular. Os fachs não são aplicados com fidelidade ás vozes populares, por isso divergências são extremamente comuns e compreensíveis, mas James dispõe de grande metal em sua voz, grande potência no registro superior, um tom particular como a do Tenor Lírico Dramático:



Já um exemplo mais pesado e próximo do Tenor Dramático pode ser o cantor Robbie Williams, já que dispõe de uma voz metálica, pesada, de tessitura usual de Tenor e um registro agudo, mesmo que pouco treinado, homogêneo e de grande volume. A estética de canto de Robbie procura uma impostação mais frontal e o som exibido é bem menos cheio do que o de um interprete erudito, mas acredito que este poderia sim cantar daquela forma e soar próximo de um Tenor Dramático. 


sexta-feira, 6 de março de 2015

6.3.15

Tudo Sobre: Tenores Líricos

Postado por Sávio Alves
Tudo Sobre: Tenores Líricos



Os Tenores Líricos são os queridinhos dos compositores ao redor do mundo. Com vozes quentes, agudas, de metal moderado e uma características cênicas quase sempre ligada a jovens e belos rapazes, estes são os mocinhos do mundo da música, fazendo par com Sopranos em grandes montagens por toda a Europa. Ganhando grande notoriedade da segunda metade do período Clássico em diante, este interpretes dispõe de tessitura de aproximadamente 1 oitava e 3 notas, partindo do C grave abaixo do central e se estendendo até o Fá acima do centro C  (Se bem treinados são propensos a cantar sobre uma orquestra inteira sem grandes problemas).


Para atingir o famoso C agudo dos Tenores, normalmente, este fach usa de sua voz de cabeça para tal, cobrindo à a fim de produzir um som cheio, poderoso, emotivo e ressonante, enchendo um teatro inteiro sem problema aparente com o auxílio de devido apoio. Uma ária que demonstra bem o passagio do Tenor moderno é a famosíssima "Una Furtiva Lacrima", uma das mais famosas deste fach, já que se inicia com um F de passagem logo na primeira nota. Sinta a primorosa técnica de Lucia Pavarotti, o mais famoso Tenor Lírico de todos os tempos, cantando tal peça:


Alguns Tenores com um repertório mais extenso ultrapassam o famoso C, mas dificilmente com uma qualidade tão perfeita e ululante. Bellini já compôs uma ária famosa por conter não um C, mas um F5! Hodiernamente a peça, quando executada, presa conservar o som cheio e viril da voz masculina e não explora o falsete, tentando produzir um som mais metálico e escuro, usando do mix (Chiaroscuro) para uma emissão mais salubre... Os Tenores Líricos normalmente podem ir até esta nota de forma virtuosa, mas muitos optam por se manter em uma região em C3 - C5 para conservar um som mais quente e rico.


Verdadeiros Tenor Líricos nem sempre iniciam a carreira com uma voz tão pesada, por isso não é incomum começarem como Tenores Leggeros (Di Gracia) ou como "Jovens Tenores Líricos" (Um Lírico com uma voz em maturação que não necessariamente dispõe do timbre próximo do Lírico Leggero convencional).

O sistema fach aplicado a música popular não é cem por cento efetivo e discrepâncias entre teóricos acontecem, mas cremos que o cantor brasileiro Leonardo Gonçalvez tem características fortes de um Tenor Lírico em sua voz, por conta das seguintes fatos: Apesar da extensão enorme na região grave apenas a partir do C3 sua voz apresenta plasticidade e facilidade de emissão extrema, melismas bem conectadas e fluidas não o impediria de executar fioraturas complexas, timbre masculino maduro e quente, extensão no registro misto de peito que abrange um C5 cheio e consistente com brilho maior na região da quarta oitava.


Já para a variação mais jovial e leve deste fach, ainda na música popular, D'black é o perfeito representando por conter as já citadas características com um timbre ainda mais quente e delicado:

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

25.2.15

O que é o Apoio Respiratório?

Postado por Sávio Alves
O que é o Apoio Respiratório?



Hoje falaremos um pouco sobre apoio respiratório, também chamado de Suporte. Esta técnica de grande importância para o canto precisa ser bem desenvolvida, seja no estilo popular ou erudito, pois proporciona ao vocalista inúmeras vantagens, tais como: Boa projeção, melhor qualidade vocal e sustentação controlada das notas. Cantar é um ato que envolve diversos “ajustes vocais”, ajustes estes que utilizam o máximo do nosso aparelho fonador, por isso é crucial ter a disposição uma boa técnica de emissão aliada a um apoio consistente.





O apoio é um tema bastante discutido, e é possível encontrar registros desde o período do Barroco do começo dos estudos a respeito desta importante ferramenta. Para entendermos o que seria o apoio de uma forma simples, poderíamos dizer que este é a sustentação da coluna de ar que faz parte da produção do som. Ligado diretamente a respiração, estes formam a base para o canto. Existem quatro tipos de respiração, a respiração considerada ideal para o canto é a chamada Diafragmática-Abdominal ou Costo-Diafragmática-Abdominal (Expansão Harmônica de toda caixa torácica, permitindo a totalidade da capacidade pulmonar) preferida por muitos professores para o desenvolvimento do canto clássico.
Abaixo veremos dois estilos musicais distintos e poderemos analisar o apoio das duas artistas e sua relação quanto a projeção e sustentação das notas:

Tamar Braxton - Love and War



Nesta apresentação podemos observar uma quantidade significativa de notas altas, as quais são bem sustentadas por Tamar. Sua coordenação pneumofonoarticulatória está em perfeita sintonia. A projeção vocal de Tamar é realmente impactante! Sua voz mantém a qualidade tanto na região de seus graves até os agudos.

Sarah Brightman - Phantom of the Opera


Neste vídeo temos uma apresentação de Sarah Brightman cantando O fantasma da ópera. Sua respiração é executada com boa qualidade. A projeção vocal de Sarah é grandiosa e sua técnica no que consiste ao apoio e sustentação das notas é digna de aplausos e elogios, mas ainda não é o melhor exemplo que temos a mostrar como verão a seguir...

Na música erudita, hodiernamente, já temos uma técnica de apoio bem mais polida e salubre, possibilitando aos interprete, de maneira extremamente bela e virtuosa cantar e encher um teatro com sua voz sem o auxílio de amplificação de um microfone. Na performance que segue, podes ver Natalie Dessay, um importante Soprano de voz levíssima cantando sem dificuldade sem o auxilio do microfone:



Um exemplo de como o apoio é realmente incrível, é a facilidade com que a movimentação em palco acontece com a presença deste no canto de um interprete. Hodiernamente os nomes que mais se destacam pelo quesito voz + movimentação significativa/dança são Beyoncé e FKA Twigs, uma primorosa performance vocal da primeira citada por ser encontrada no vídeo abaixo, onde esta canta e dança sem ofegância e ou pravos vocais significativos:


Sem um bom apoio não terá boas notas agudas, agilidade bem definida, uma voz consistente, leggatos bonitos ou longevidade vocal, existem exceções, porém a chance de fazeres parte dela é ínfima, por isso trabalhe isto todos os dias de sua jornada como cantor. No futuro podemos passar algumas exercícios para se desenvolver melhor o apoio, mas é importante ressaltar que encontrar um professor de técnica vocal qualificado faz toda a diferença e é de longe, até hoje, a maneira mais simples de se atingir almejados resultados.

+ Último vídeo + Categorias